segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quero viver no sabor do teu beijo









Amamos o que não temos em cada momento
Num quarto suspenso nas asas de um pássaro
Enquanto teus olhos descobrem meu pensamento
Sinto que a eternidade mora no teu beijo raro
Quero viver no sabor do teu beijo
Enquanto fecha os olhos no meu aconchego
Na tentativa de sentir minha alma em desejo
Vivendo no coração saudoso do teu peito
Pulsando por sentir tua pele tão perto de mim
E, quando o gozo vem, sem pedir licença
Do meu lado, teu corpo se deita assim
Completando-me por inteira com tua presença
Quero viver no sabor do teu beijo
Enquanto teu sorriso é a paz que preciso
Quando na madrugada te procuro num lampejo
Num sonho que jamais existiu no paraíso 


Helen De Rose

*Antologia das melhores poesias de 2010 - lançamento 05/12/10 - CBJE - Rio de Janeiro.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A Menina que não falava e o Natal

Marina, minha filha.














Hoje eu acordei ouvindo o bem-te-vi na minha janela e fiquei olhando para o meu brinquedo mais preferido: uma garrafa de plástico verde de guaraná; que sempre ouço mamãe dizer que ela é minha boneca barbie.

De repente, mamãe entrou no quarto e me deu um bom dia:

- Bom dia, Marina morena! Como faz todos os dias, ela me dá beijos e abraços, com todos os seus carinhos. Sorrindo, eu bati palmas para ela, e ela me sentou na cama para cuidar de mim. Mas, ela me disse uma frase diferente hoje:

- O Natal vai chegar hoje!

O que será que isso quer dizer? Será que vai chegar alguém? Fiquei olhando para ela curiosa. O dia foi seguindo com uma agitação diferente. Quando a mamãe acendeu a luz do meu quarto, os meus primos, tios e avós começaram a chegar com uns pacotes enfeitados nas mãos e colocavam debaixo de uma árvore engraçada que ficava piscando o tempo todo na sala.

Mamãe me vestiu com um vestido lindo, cheios de borboletas coloridas e uma sandália que acendia luzinhas, conforme ia andando até a sala com a ajuda da mamãe. Nossa! Esse Natal deve ser muito importante. Olhando para a mesa repleta de comida, pensei, será que tudo isso é por causa desse Natal?

Mamãe me sentou no sofá mais macio da sala e vi a mesa toda enfeitada, com todos sentados à sua volta e felizes. Enquanto ouviam músicas que também falam essa palavra Natal.

Engraçado, eu vi como esse Natal pode mudar um dia de rotina, por outro dia tão feliz? Deve ser um mágico!

De repente alguém disse: - É meia-noite! O Natal chegou!

Ué?! Eu olhei por todos os lados e onde estava esse Natal? Ele chegou na porta? Cadê ele?

Vi todos se abraçarem, entregando aqueles pacotes enfeitados e até eu ganhei brinquedos novos, mas, não vi ninguém diferente chegando com o nome de Natal.

Então, mamãe veio me abraçar e disse assim:

- Filha, Feliz Natal! Hoje é dia de Natal, dia em que todos nós renascemos com o Menino Jesus! Por isso estamos festejando todos juntos!

Então eu pensei: - Puxa! Mas, por que o Natal só tem uma vez por ano? Demora tanto para chegar, para todos ficarem unidos e felizes?

Helen De Rose

*Antologia Os mais belos textos de Natal - lançamento em 10/12/2010 - CBJE








segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quando o coração chora de saudade...












...a alma declama um poema:

Estou só mais uma vez
Nesta madrugada da alma na solidão
Sob este céu da saudade do meu coração
Repouso meus desejos neste lago solitário
Que silencia a voz nessa corrente que chama
Meus pensamentos em busca de você
Porque é assim que tem que ser...
Não tenho o seu amor
Nem sua presença
Muito menos a recompensa
De qualquer felicidade

O destino brincou comigo
Deu-me um abrigo momentâneo
Tão fugaz, como a chama de uma vela
Que ao sentir a presença da brisa
Desaparece no éter
Deixando seu rastro de fumaça
Desenhando imagens chorosas no ar
Impregnado pelo seu perfume final

Estou só mais uma vez...
Noite embriagada com seu cheiro
No êxtase que permanece em mim
Nas estrelas que enfeitam meu ventre
Serpenteando pela lembrança do seu toque
Na minha pele com suas mãos
No meu íntimo cálido com seu...

Ah!...Se eu pudesse lhe fazer um pedido,
Diria:
- Toca-me com amor!
Porque estou entregue!
Inteira!
Nesta madrugada de minha alma...
Pensando em ter você neste sonho noturno
Para me abandonar nos seus braços
Para me perder no aconchego do seu ventre
Quando encontrar sua pele
Roçando em mim!
Para me encontrar em você!

Quando o coração chora de saudade...
...a alma declama um poema!

Helen De Rose


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Na Sombra da Lua










Fogueira de sentimentos
Queimam em incensos de desejos
Em bolhas de sabão meus pensamentos
Ondas azuis silenciosas em sutis lampejos.
Sou a imagem das flores na primavera
Recebendo o beijo das borboletas amarelas
Enquanto a sombra da Lua nos espera
Nas lunações enfeitadas em lindas aquarelas.
Nossas recompensas são os momentos
Em que a terra rodopia no espaço lá fora
E a órbita do tempo pára em movimentos
Dos nossos íntimos unidos com amor no agora.
A vida só vale a pena por imagens
Ao lado de quem amamos e nos interessa
Em voos rasantes acima das nuvens
Sentindo cada segundo sem nenhuma pressa.
Traz o seu sossego, tire o seu relógio, fica comigo
Enquanto o sol se deita no horizonte do fim do dia
Sussurrando palavras de amor ao meu ouvido
Isto é o que eu desejo e me interessa: paz e harmonia.
Quero amar na sombra da Lua 
No salto quântico do Universo
No céu da imensidão, totalmente, sua
Seguindo o caminho das estrelas nestes versos.
Mesmo que seja por um instante eternizado
Por nossos beijos de amor em cada estação
Sentindo nossa vida fluindo no ventre apaixonado
Do êxtase que faz tirar o fôlego do nosso coração.

Helen De Rose

*Lançamento em 10/11/2010 - CBJE - Rio de Janeiro



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...