segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mulher! Mulher!


Mulher! Mulher! Sua cor é rosa-choque?
- Não sei se isso é mentira ou verdade de fato.
Mas, se quiser ousar, então me provoque!
E mostrarei o meu sexo frágil no seu tato

Do sexo frágil, essência feminina, graça e beleza
Do pecado original, carne de mulher, fruto da maçã
Todo o eflúvio e fluxo da fêmea em delicadeza
Por onde anda, atiça o homem que deseja ser seu fã

Olhos de cristais diluídos no mar da sapiência
Pressentimentos e anseios revelam sua intuição
Ciclos estranhos e naturais revigoram sua essência
Hormônios exalam seu perfume de pura tentação

O leito do rio na sua adocicada fruta rosada
Inebria seu amado pela volúpia do seu instinto
Anuncia a nascente do prazer da amante amada
Hipnotizador irresistível igual ao aroma do absinto*

Mulher! Mulher! Da inspiração que foi criada
Tornou-se a Musa do Poeta Maior, Seu Criador
Que lhe deu o poder do portal da luz, na jornada
Bendito seja seu ventre! Aleluia! Com todo louvor!

Helen De Rose

*no Brasil absinto é uma essência perfumada.

* 8 de março - Dia Internacional da Mulher






segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Revival










O ar que respiro é livre
Diante do Sol de todos os dias
Minha visão, meu solo
Nascentes reaparecem
Dum lençol subterrâneo
Depois de um tempo
Escondidas
Meu corpo, minhas águas
Riachos em movimentos
Contornando as pedras frias
Um grito no vento
Uma bandeira erguida
Corre com meus pensamentos
Nas ruas sem saídas
Menina vestida de minissaia
Descalça, sem medo
De tomar chuva
De tomar certas atitudes

Meu costume despojado
Diante das respostas
Que mudam as perguntas
Minha alma, meus questionamentos
Nasci sob a luz de um ponto
Interrogação, era o nome dele
Palavras soltas
Sentimentos presos
O mundo também dá voltas
Para os enganos ledos
O passado não me detém
Num simples amém.

Helen De Rose

*Lançamento em 15/03/2011 - CBJE - Rio de Janeiro



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...