quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Ao Sabor do Tempo...



Os dias vão passando
diante dos meus olhos castanhos,
hoje,
voltados para o céu nublado,
olhando as nuvens passageiras,
que vão deixando esse dia acinzentado.

Nesta pedra grande, onde estou sentada,
meus olhos choram...choram...

Só eu sei das minhas dores,
frustrações e carências.
Tudo está guardado em mim,
nos recônditos das minhas lembranças,
em todos os sentimentos que vivenciei.

Minha solidão não é presenciada
por ninguém...ninguém...

Só eu sei dos meus silêncios,
dos meus sacrifícios e lágrimas.
Tudo isto simplificou minha vida,
aumentou minha fé e esperanças,
mas, não sei se algum dia voltarei.

Neste espaço que me encontro,
meus cabelos esvoaçam...esvoaçam...

Só eu sei o quanto desejo essa liberdade, 
quando meu peito se abre e liberta
meus voos 
para o céu estelar da sagacidade.
Tudo o que me foi ensinado,
absorvi em profundidade,
pelos caminhos que busquei.

Neste momento de desabafo,
minhas lágrimas cessam...cessam...

Ao sabor do tempo
renasço,
permaneço viva,
eternizo minha passagem,
diante do seu olhar.

Helen De Rose



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Arte é Alegria




Existe um sentimento em nós,

uma compreensão intuitiva
nascida da mesma arte
que um dia fomos criados.
Abrem-se as cortinas da vida,
enquanto uma alegria inexplicável
prepara todo um cenário natural,
esperando por toda nossa
concepção de manifestação.
A imaginação é uma obra de arte,
feita a cada instante vivido
por criaturas dotadas de criação,
demonstrando habilidades
em comover, emocionar,
conscientizar verdadeiramente,
com beleza e estética,
a harmonia proporcional
inspirada pelo Gênese do Criador.
Faça-se alegria nos sorrisos!
Faça-se emoção nos corações!
Faça-se eterna no esplendor!
Dê-lhe um nome de batismo
para ser lembrada por todos
e depois que estiver concluída,
de um longo sorriso de admiração,
igual tivesse nascido uma filha,
e, então, assine no rodapé,
seu pseudônimo:
Poesia.


Helen De Rose

*Lançamento 20/01/2012 - CBJE - Rio de Janeiro




sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Por toda a Eternidade!


Um jardim florindo rosas de tons lilases
Perfumando as águas que fluem na sua alma
Encontrando as essências marítimas do meu cais
Meu porto seguro diante do silêncio da sua voz

Eternas saudades e emoções 
Eternas sensações e sonhos realizados
Eu sou o perfume das rosas na sua existência

Sou o aroma que alimenta seus sonhos de liberdade... 

Minha essência sobrevoa as paisagens do seu pensar 
Somos tudo o que podemos imaginar nessa profundidade
Pétalas de rosas soltas sobre esse linho secular
Seus pés fertilizam a terra com as sementes das minhas mãos

Eternas lembranças e pensamentos 
Eternas noites e manhãs
Eu sou o perfume das rosas na sua solidão

Sou a fragrância que alimenta a sede dos seus desejos... 

Marcando sua vida com lembranças inesquecíveis 
Pelas pegadas tatuadas na sua gênese universal
Caminho contigo de mãos dadas nas lembranças de vidas passadas

Eternas alegrias e cumplicidades 
Eternas paisagens de unificação
Eu sou o perfume das rosas no seu coração

Na transmutação da união sutil entre a brevidade e a eternidade.

Helen De Rose




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...