quarta-feira, 18 de julho de 2012

Dormem no Atlântico (Dueto)



Surripio das tuas dores
Águas que o mar me traz,
Meninos de sorrisos navegantes,
Ondas que dormem Atlantes
Num ar duro e contumaz...
Filhos de todas as cores. 

Versos fecundados nas fontes
Ondas em sintonias perspicaz
Filhos dos versos contagiantes
Nascentes acordadas no teu cais
Refrescando tua face na brisa fugaz...
Mensageiros dos teus amores.

Junto-te a mim em verso 
Rima que o tempo não esquece. 
És flor vadia de Primavera, 
Mãe de vaga quimera 
Que o mundo não envelhece... 
Palavra de amor adverso.

Fertilizo suas palavras no transverso 
Eternizadas no papiro que jamais desaparece
Tingindo a brevidade com sua luz esmera
Com nanquim faz nascer essa era
Que no universo resplandece...
Duetos do teu reverso. 

Pedra de frágil cristal
Tomada em mão delicada
Que adormece em teu peito,
No suave calor de teu leito,
Nos encantos da madrugada...
Fogo que me arde, mortal. 

Essência cristalina
Minuciosamente lapidada
Que ascende em teu coração
Na inspiração dos seus sonhos
Espera por uma mulher apaixonada...
Nessa inefável viagem astral.


Fernando Saiote (Alemtagus) e Helen De Rose


Livro lançado em 2011 em Portugal, diante do convite do amigo e poeta Fernando Saiote.
O link a seguir diz mais sobre o autor:
http://www.luademarfim.pt/page55.html



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...