sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Meu Pai foi criança um dia...











Meu pai foi abandonado,
Pela sua mãe aos 4 anos.
Foi criado por uma tia,
Que lhe deu abrigo e comida.
Durante sua infância,
Entregou leite e jornal,
Para ganhar seu dinheiro,
E comprar seus cadernos,
Para poder estudar.
Com seus 14 anos,
Entrou no Banco como faxineiro,
E servia café para os clientes.
Quando terminava o expediente,
Meu pai lia os livros de contabilidade.
Percebendo sua vontade de trabalhar,
Seu chefe o promoveu para almoxarife,
E depois de passar por vários cargos,
Conforme sua capacidade e vontade,
Ele se aposentou com 32 anos de Banco,
Como gerente de uma Agência importante.
O testemunho de vida do meu pai,
É o motor propulsor da minha vida,
Porque ele teve uma oportunidade,
E se agarrou firmemente nela,
Com vontade e disciplina.
Ele poderia ser mais um,
Dos filhos abandonados pela mãe,
Sem rumo certo na vida.
Mas, ele optou pelo trabalho,
Por querer vencer na vida,
E realizar seu sonho,
De ser um vencedor.

Helen De Rose

*Nas mesmas mãos que traz o sonho e escreve a obra, o universo manifesta a sua presença através da Luz da Boa Vontade, conspirando a favor de todos aqueles, que levam em sua mente o intento da solidariedade. Aos poetas e todos aqueles que acreditaram neste sonho, meu respeito e admiração.

*Antologia destinada a ajudar uma Instituição de Portugal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...