segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Infinito particular




Estamos num instante de infinito particular 
leio-te nos matizes da cor do teu olhar 

Atravesso oceanos siderais da tua imaginação 
enquanto a menina dos teus olhos brinca na minha visão 

Corro pelas florestas do teu coração pulsando 
sobre as patas de um lince seguindo tua íris se libertando 

Vivo no teu globo ocular brincando com as lindas mariposas 
que fazem brilhar meu cristalino, refletindo as luzes de tuas prosas 

Retina em mim, transforma a vida numa obra de arte 
transcende o etéreo e leva consigo o meu estandarte 

Dou para ti minha córnea para encontrar meu mundo 
e chegar no porto abrigo onde o Sol é o meu Eu profundo 

Não deixarei que tua pupila se perca de mim 
nem aqui, nem onde o destino procura por um fim.


Helen De Rose

*lançamento em 20/11/2013 - CBJE - Rio de Janeiro


Um comentário:

  1. gosto da maneira como brinca com as palavras, mas é um jogo certeiro, lindo poema com uma carga emocional forte...

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...