quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A Imaginação do Poeta


*este vídeo é um presente da amiga e poeta Betha M. Costa.


A imaginação do poeta
é igual a uma borboleta,
que habita o meio das folhas
de um livro, nascido
das profundezas do solo
da terra selvagem.

Não possui dono,
apenas imagens.
Não possui limites,
que prendam os infinitos
das suas palavras.

A borboleta personifica
o poeta
que segura
em seus braços,
o nascimento da poesia,
sua filha imaginativa.

Helen De Rose

*Antologia lançada em 10/10/10 - CBJE - Rio de Janeiro


5 comentários:

  1. Lindíssimo ,Helen!Tua inspiração é grande!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. "Desordem no corpo, erro no espírito, uma coisa alimentando a outra, eis o real da imaginação ."

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Aprecio muito a forma como escreve Helen e não só isso mas também a sua pessoa

    Obrigada por tudo

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Minha querida
    A imaginação do poeta não conhece limites...apenas voa ao sabor das palavras.
    Lindo o teu poema, como sempre.

    beijinhos com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Olá Helen!

    Em primeiro lugar...Muito obrigado pelo acolhimento em seu blog! senti tanta falta dessa interação na rede a qual fazia parte!
    Muito obrigado mesmo!
    Bom... Opinar sobre uma poesia que expõe a imaginação de um poeta é uma tarefa complicada,mas vamos lá!
    A imaginação de um poeta nunca terá limites,pra falar a verdade eu acho que se existe um limite para a imaginação,certamente esse limite é velha companhia dos poetas que caminham de braços dados todos os dias!
    Curti muito seu blog!
    Muito obrigado e sucesso sempre também!

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...