segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Revival










O ar que respiro é livre
Diante do Sol de todos os dias
Minha visão, meu solo
Nascentes reaparecem
Dum lençol subterrâneo
Depois de um tempo
Escondidas
Meu corpo, minhas águas
Riachos em movimentos
Contornando as pedras frias
Um grito no vento
Uma bandeira erguida
Corre com meus pensamentos
Nas ruas sem saídas
Menina vestida de minissaia
Descalça, sem medo
De tomar chuva
De tomar certas atitudes

Meu costume despojado
Diante das respostas
Que mudam as perguntas
Minha alma, meus questionamentos
Nasci sob a luz de um ponto
Interrogação, era o nome dele
Palavras soltas
Sentimentos presos
O mundo também dá voltas
Para os enganos ledos
O passado não me detém
Num simples amém.

Helen De Rose

*Lançamento em 15/03/2011 - CBJE - Rio de Janeiro



5 comentários:

  1. Olá Helen
    Ser livre é percorrer novos caminhos, à procura de nós mesmos.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. "O passado não me detém,
    Vivendo plenamente o presente...
    Uma passagem para o futuro...
    Um questionamento para mais além..."

    Um poema lindo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais... pura liberdade de ser, sentir e viver...
    Tenha um belo dia...beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso...amo a liberdade...!!!

    P.S: Vim dizer que tem presentinho para você do Blo LUZ,vá buscar...

    Tenha um Lindo Fim de Semana!!!
    Muita LUZ!!!

    ResponderExcluir
  5. Essas asas da palavra respiram e com ela o seu poeta, parabéns poeta! Prazer em conhecer seu lindo espaço. Muito obrigada sempre pela sua palavra de carinho, pela consideração. Deixando-lhe o meu carinho e o meu apreço, e um imenso abraço!

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...