segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mulher! Mulher!


Mulher! Mulher! Sua cor é rosa-choque?
- Não sei se isso é mentira ou verdade de fato.
Mas, se quiser ousar, então me provoque!
E mostrarei o meu sexo frágil no seu tato

Do sexo frágil, essência feminina, graça e beleza
Do pecado original, carne de mulher, fruto da maçã
Todo o eflúvio e fluxo da fêmea em delicadeza
Por onde anda, atiça o homem que deseja ser seu fã

Olhos de cristais diluídos no mar da sapiência
Pressentimentos e anseios revelam sua intuição
Ciclos estranhos e naturais revigoram sua essência
Hormônios exalam seu perfume de pura tentação

O leito do rio na sua adocicada fruta rosada
Inebria seu amado pela volúpia do seu instinto
Anuncia a nascente do prazer da amante amada
Hipnotizador irresistível igual ao aroma do absinto*

Mulher! Mulher! Da inspiração que foi criada
Tornou-se a Musa do Poeta Maior, Seu Criador
Que lhe deu o poder do portal da luz, na jornada
Bendito seja seu ventre! Aleluia! Com todo louvor!

Helen De Rose

*no Brasil absinto é uma essência perfumada.

* 8 de março - Dia Internacional da Mulher






4 comentários:

  1. Belo poema homenageando as mulheres, com sua força , e sua fragilidade.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Uma poesia bonita exaltando a mulher.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema...toda a beleza, a fragilidade, exuberância, força e vida das mulheres...
    beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  4. Com meu total... "Apoio Feminino"!
    ;)

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...