sexta-feira, 26 de julho de 2013

A Noite das Almas



Luzes de chamas contornam as montanhas nesta noite, 
enquanto espectros se aproximam e dançam ao redor.
Os ecos da música tribal se misturam com a escuridão,
levando para as entranhas da terra um som de louvor.

Meus olhos negros ocultam visões reminiscentes, 
imagens etéreas surgem flutuando na minha memória. 
Exalam uma fragrância que lembram uma saudade 
de um tempo que se foi, de um lugar que não existe mais.

Eu vejo um caminho feito de velas dançando pelo chão, 
mostrando a passagem que existe entre a sombra e a luz. 
Diante do manto escuro da noite, as brumas escondem 
almas dançando um minueto para um Ser de capuz.

Os ramos dos salgueiros curvam-se nas alfombras úmidas, 
lembrando o choro interminável de quem sente saudade. 
Enquanto o sereno se transforma em orvalho, em lágrimas 
que caem desta noite das almas, do puro céu de liberdade.


Helen De Rose


*Antologia lançada em 20 de junho de 2013 - CBJE - Rio de Janeiro


Um comentário:

  1. Boa noite Helen, um poema muito belo, um bocadinho triste, mas extremamente belo, beijos Luconi

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...