O pó que sai da minha mão

Kate Bush

Um sentimento sem mim

Uma falta de ser assim

Sem pesos e medidas

Sem significado e porquês

Palavras interrompidas 

Sou apenas silêncio

Em meio as minhas dúvidas

Nem sei se vou ou se fico

Sou uma metamorfose ambulante

Uma mutante em sensações 

Uma alienígena hermafrodita

Dos meus recônditos espaços

Das minhas inquietações constantes

Reconhecendo a alma alheia

Com todos os seus subterfúgios

Interesses secretos e dissimulações

Intolerância me invade

Pela desonestidade

Daqueles que se acham espertos

Nem sabem eles

Que por mim são enterrados

Nas profundezas dos patifes

Insanos desalmados

Em pele de cordeiro

Lobos sedentos de poder

Sua sentença já está feita

Pela lei do Universo

Das minhas mãos

Só saem o pó

Das sobras do seu ser


Helen De Rose

*Lançamento em 20/05/16 - CBJE - Rio de Janeiro


Comentários