quinta-feira, 22 de julho de 2010

Canção de Plenitude













Momento a momento as partes vão se unindo
A visão vai se abrindo para a percepção interior
Revelando o amor que do coração vai fluindo
Nos lábios sorrindo presenciando a magia do alvor

Envolvendo de calor o encantamento da plenitude
Presente na atitude de cada essência consciente
Da totalidade da mente em profunda completude
Mesmo que tudo mude de forma surpreendente

Estar ciente de dar um passo de cada vez na vida
Deixando cada esquina na saudade de um passado
Muitas vezes relembrado por uma canção de despedida
Memorizada na partida de um momento eternizado

Nosso aprendizado está em cada fim, em novos começos
Mesmo que os tropeços cantem para nos fazer acordar
A sorte vem nos salvar dos abismos e dos arremessos
Nos destinos espessos que nosso olhar possa encontrar

Ah! Como eu quero estar! Com a alma plena de felicidade!
Nascendo da sagacidade de um sublime delírio da criação
Nesta constelação que ilumina os olhos cansados da humanidade
Revelando a irmandade que nos leva às veredas da perfeição

Helen De Rose

*Publicado na Edição 2010 da Antologia "Plenitude - Versos de Encantamento" -
Lançamento 10/08/2010

2 comentários:

  1. "Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira ."

    Beijo-

    ResponderExcluir
  2. Ah! como gosto de apreciar boa poesia. Parabens poeta. Isso não é sorte é talento e talento não se compra no shoping, é caldeado no útero materno.
    Mangualde

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre.
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...